Skip to content

SE VEM AÍ O FERROANEL NORTE, POR QUE RAIOS VÃO FAZER O RODOANEL NORTE?!

julho 19, 2012
O site Mobilize repercutiu (clique AQUI para ler) a matéria do Estadão sobre o acordo entre os governos federal e estadual para construir o FERROANEL em três trechos, somando 200 km de novas linhas de trem em volta da cidade.  O primeiro trecho a ser construído seria o FERROANEL NORTE, que seguiria paralelo ao Rodoanel Norte.
 

Matéria sobre o acordo para construir o FERROANEL em São Paulo.

 
Quem já está visualizando os prejuízos socioambientais produzidos pela obra do Rodoanel na Serra da Cantareira, fica a perguntar: a serra vai sobreviver a duas obras desse porte:  o Rodoanel e, ao lado, paralela, o Ferroanel?
 
Se o Ferroanel vai transportar carga, como está dito na matéria,  então ele PODE E DEVE eliminar muitos caminhões que atravessam a cidade carregando exatamente essas cargas.  E se vai fazer isso, então… PARA QUE CONSTRUIR O RODOANEL?   O transporte ferroviário é muito menos poluente, é mais moderno, é mais sustentável, em todos os sentidos, do que o transporte rodoviário.
 
Fica a pergunta:  POR QUE VÃO CONSTRUIR O RODOANEL?
Anúncios
5 Comentários leave one →
  1. Rozimá Tenorio de Araujo permalink
    julho 20, 2012 3:01 pm

    PERAÍ, ACHO QUE NÃO ENTENDI. SERÁ CONSTRUIDO O RODOANEL E O FERROANEL?. CADE O BID?, QUE DIZ FAZER E ACONTECER?. CADE A ONU, QUE FALA QUE A SERRA DA CANTAREIRA É PATRIMONIO DA HUMANIDADE, QUE A SERRA NAO PODE SOFRER INTERVENÇÕES HUMANAS E UM MONTE DE BABOZEIRAS. É SÓ OLHAR AS INVASÕES, AS CONSTRUÇOES IRREGULARES DAS OBRAS DO ARAUTO DA SERRA. O PROBLEMA É SÓ 1 (HUM), ESTÁ HAVENDO MUITA DEMAGOGIA EM RELAÇÃO AO MEIO AMBIENTE. AÍ QUEM SOFRE É A POPULAÇÃO QUE RESIDE NO ENTORNO E PORQUE NÃo A MAIRIA DAS PESSOAS QUE DEPENDEM DE AR PURO, BOA AGUA, ENFIM TUDO O QUE DIZ O ARTIGO 225 DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL. OU SEJA, TODOS TEM DIREITO AO MEIO AMBIENTE ECOLOGICAMENTE EQUILIBRADO, BEM DE USO COMUM DO POVO E ESSENCIAL À SADIA QUALIDADE DE VIDA, IMPONDO-SE AO PODER PUBLICO E À COLETIVIDADE O DEVER DE DEFNDE-LO E PRESERVA-LO PARA AS PRESENTES E FUTURAS GERAÇÕES. ISSOÉ LEI E ESTÁ NA CARTA MAGNA DE 1988. RESPEITO É BOM, E A NATUREZA VAI COBRAR ESSE RESPEITO, SE FOSSE VOCES ACREDITARIAM NISSO

  2. Francisco Roberto C. E. Santo permalink
    julho 25, 2012 12:18 pm

    O Brasil precisa urgente de muita, mas muita, educação de QUALIDADE, que liberta, constrói e engrandece os seres humanos e suas relações. De nada adianta “engravatados bem sucedidos” com vultosas contas bancarias, porém totalmente alienados da própria existência e do meio onde vivem. Resultado: violência, desesperança e destruição de verdadeiros tesouros (rodoanel na Cantareira Não!) imperceptíveis aos olhos dos néscios e insensíveis.

  3. LUIZ CARMINO GIOVANESE permalink
    agosto 15, 2012 4:27 pm

    Caro amigo,
    O ferroanel é uma obra necessária. E concordo com vc de que havendo ele, não há a necessidade de um rodoanel.
    Muitos ambientalistas são contra até o ferroanel, mas isso é puro desconhecimento de causa. O impacto ambiental com um ferroanel existirá, mas levando e consideração que seria feito “nas franjas” da serra da cantareira, esse impacto é minimizado.
    Mas ainda assim o ganho ambiental é enorme: o ferroanel começaria a destruir o vício do transporte rodoviário, priorizado a partir dos anos 50. A tendencia mundial é a intermodalidade, mas no brasil por falta de trens isso não é tão aplicado.
    basta dizer que o mais potente caminhão do mercado (Volvo FH16?) tem potência máxima de 630 Cv, e a locomotiva de manobra mais simples tem 1.200 Cv.
    Uma composição duplex de locomotivas modernas transporta 12x mais que um caminhão, o que retiraria das ruas mais de 80 caminhões por composição.

  4. joziran permalink
    agosto 25, 2012 7:17 pm

    meu demoro para fazer esse rodonel trecho norte se não fazer as pessoas vão continuar invadindo queimando a mata fazendo esses morros horrivel melhor o rodoanel pois vai separar a mata assim dificulta a invasão e manter o que vai sobrar da mata

  5. julho 29, 2014 11:22 am

    Desenvolvimento com políticas ambientais sustentáveis, não são coisas antagônicas. Qualquer pessoa com um mínimo de noções culturais sabe que investimentos em transporte, saneamento básico, urbanismo e infra-estrutura só trazem o progresso por onde passam. Os fatos refletem isto, o atual rodoanel sul não permite ligações periféricas secundárias em seu contorno, e que atravessa inúmeros mananciais, e o futuro norte estão levando em conta estas importantíssimas questões. Com todo respeito, acreditar que o único caminho viável é deixarmos do jeito que está, é no mínimo falta de informação.
    Dentre as obras do PAC, uma que deveria estar incluída e ser priorizada é ligação rodo ferroviária Parelheiros–Itanhaém, uma vez que o porto de Santos ultrapassou seu limite de saturação com filas de navios em de mais de 80 unidades, das quais podem ser avistados da Vila Caiçara em Praia Grande, além de que a Via Anchieta por ser a única via de descida permitida para ônibus e caminhões tem registrados congestionamentos e acidentes graves semanalmente, como este de hoje 22/02/2013 em que uma trompa d’agua na baixada paulista deixou o sistema Anchieta / Imigrantes em colapso, e o transito só foi restabelecido na madrugada do dia 24 seguinte, e em épocas de escoamento de safras também a Dom Domenico Rangoni (Piaçaguera–Guarujá) se torna congestionada diariamente, ao contrário da Manoel da Nóbrega, onde somente se fica com problemas em épocas pontuais na passagem de ano, ao porto de Santos, e os futuros portos de Itanhaém / Peruíbe.
    Acredito também, como munícipe, que a estrada mitigaria as condições de estagnação que as cidades vivem, com ruas sem pavimentação, ocupação desordenada do solo, entre outras. Uma ligação da cidade com a região sul da capital traria muitos benefícios, fornecendo mais opções, melhorar a qualidade de vida dos moradores da capital e baixada. Muitas pessoas voltariam a fixar na cidade, inclusive eu. A cidade poderia nos dar mais retorno frente aos impostos que pagamos. Investimentos em Parques Temáticos, Porto, Aeroporto, Ferrovia ligando com a existente, enfim muitos projetos que alavancariam a região como um todo, bem como o desenvolvimento global de toda a região.
    Enquanto outras cidades turísticas litorâneas avançam principalmente no norte fluminense, Itanhaém, Mongaguá e Peruíbe se voltam ás primitivas cidades sazonais caiçaras sem interesse em desenvolvimento e com metas e avanços financeiros presentes apenas nas mãos de alguns.
    Já passou á hora de ver nossa geração e de nossos filhos se enraizarem na região com bons empregos e educação ao invés de tentar uma melhor condição social em São Paulo, pois Santos também já ultrapassou o limite de saturação.
    Com relação Parelheiros, esta região rural situada ao sul do município de São Paulo, que possui uma carência de transporte e saneamento básico, ajudaria enormemente uma fiscalização, urbanização e preservação dos seus mananciais.
    Sinto que o potencial destas cidades não são utilizados, com foco noutros que beneficiam uma minoria retrógrada. Não vejo senão, o apoio irresponsável e egoísta aos interesses escusos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: