Skip to content

ESTADÃO E FOLHA: DUAS MATÉRIAS NO FIM DE SEMANA

março 15, 2012
No dia 11/03 (Domingo) o Estadão e a Folha de S. Paulo trouxeram notícias sobre o Rodoanel trecho Norte.
 
O Estadão (cad. Economia pág. B6) repercutiu a pesquisa sobre as principais obras de infra-estrutura no país. Das 10 mais importantes, cinco são do setor rodoviário. Por isso a afirmação do coordenador da pesquisa, Paulo Resende, de que “o país está cada vez mais rodoviarista”.  Nenhuma novidade.  Entre essas cinco obras, está o Rodoanel trecho Norte. “Este é o último – e mais complicado – trecho do anel viário de São Paulo”, assim inicia o texto sobre a obra.  E por que é o mais complicado?  Sobre isso a matéria não fala absolutamente nada.  Segundo o presidente da Dersa, “se tudo correr como previsto, as obras poderam ser iniciadas no final de Junho”.   Não se nega que é complicado, mas sobre a “complicação” que é passar uma megarodovia junto aos mananciais de serra da Cantareira, nenhuma palavra. 
 
Já a Folha (cad. Cotidiano pag. C6 e C7), na matéria “Estado ainda deve por dano ambiental do Rodoanel”  aponta todas as compensações ambientais e sociais ainda em aberto, por fazer, relativas ao trecho Sul do Rodoanel.  Clique AQUI para ver uma síntese da matéria da Folha.
 

Clube da Sabesp, a 12 km do centro: obra quer passar em cima.

Anúncios
2 Comentários leave one →
  1. Jânio Pires permalink
    março 16, 2012 9:34 pm

    Conforme minhas manifestações públicas em abaixo-assinados e e-mails enviados ao secretário Bruno Covas, sou totalmente contra a passagem do traçado do Rodoanel por esse trecho da Serra da Cantareira.
    Acho necessário que sejam realizadas manifestações contrárias de toda ordem, mas por outro lado, de conformidade com a matéria, entendo que essa área é uma pública e deveria ser disponibilizada para ser ocupada pela população em geral e não somente pelo clube da associação dos funcionários da Sabesp conforme afirma.
    Se é uma área maravilhosa e pertence ao estado, porque estar disponibilizada exclusivamente à uma entidade de caráter privado e para o privilégio de meia duzia de pessoas apenas, ou seja, apenas aos funcionários da Sabesp e seus agregados?
    Entendo que a Secretaria do Meio Ambiente deve rever o termo que deu a sessão de utilização da área para a associação Sabesp, e entregar o espaço para que a população possa voltar a fazer os pique-niques e que o silencio maravilhoso e a tranquilidade, a fauna e a flora que estão ameaçados seja socializado com o povo e deixe de ser exclusivo apenas a um seleto grupo privilegiado.

    Abaixo trecho de texto reproduzido do blog:
    “Ivini Ferraz, da ONG Recanta, disse que conseguiu alterar ligeiramente o traçado, que não vai mais destruir as casas históricas. Porém os 8 faixas de trânsito da obra passariam exatamente sobre a portaria do clube, de onde foi batida a foto acima.”
    Ou seja, adeus tranqüilidade, adeus fauna e, de repente, adeus flora. Isso é o que São Paulo precisa?

    Comentário: Jânio Pires
    Primeiro:
    Com todo respeito que tenho pela Ivini, creio que ela não tenha conseguido sozinha alterar nada, se houver mudanças foi em função das diversas mobilizações da população qual ela fez parte e também de uma decisão do governo levou a esse caminho.
    Segundo:
    Quando indaga, “adeus tranqüilidade, adeus fauna e, de repente, adeus flora. Isso é o que São Paulo precisa?”
    Pergunto-lhe:
    A QUE SÃO PAULO SE REFERE? São Paulo de um privilegiado e seleto grupo de funcionários de uma empresa de economia mista?

  2. Fausto Adami permalink
    março 20, 2012 3:07 pm

    E as favelas que já foram e estão sendo instaladas na Cantareira e outras reservas jogando lixo e esgoto nos mananciais ??? O Rodoanel não joga lixo e esgoto, quem joga é o povo !!! Vocês já foram ao Japão, Canadá e outros desenvolvidos ? Lá tem rodoanel, trens, viadutos, aos montes, mas o povo não suja !!! Se SP não tomar providencias urgente logo não poderemos trafegar na cidade ! O que sou contra é a cobrança de pedágios nos rodoaneis incentivando o tráfego dos caminhões ! Na Itália, por exemplo, existem pedágios somente nas vias expressas, mas não nos rodoaneis e vias estatais ! O intuito do nosso governo é faturar !

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: