Skip to content

FÓRUM NA CÂMARA MUNICIPAL VOLTA A SE REUNIR

fevereiro 26, 2012
Depois um recesso o fórum da Câmara Municipal de São Paulo contra o trecho Norte do Rodoanel reuniu-se no dia 23/02/12  dando início ao ano de discussões que promete ser quente. Presentes representantes das comunidades de Parada de Taipas, Brasilândia,  Freguesia, Jd Corisco, Vila Rica, Pedra Branca e Jd. Peri e assessores dos vereadores José Américo, Francisco Chagas, deputados Marcolino e José Zico Prado e dra. Maria Cristina Grecco da OAB.
 
Na pauta a reunião que haverá na Defensoria Pública e com o Ministério Público da Habitação no dia 20/03 no prédio da Defensoria Pública na r. Boa Vista 103 – 7° and. às 14h, com os representantes comunitários dos bairros atingidos pelo traçado norte do Rodoanel. E aí entra a primeira questão. A defensoria possui o traçado definitivo que o Dersa se recusa a apresentar? E se possui, informou os atingidos que se mantêm na total ignorância sobre o assunto? Onde passa o Rodoanel Norte? E como a Defensoria fará acordos apenas com quem advinhar que será atingido?

 

Vereador José Américo, assessores e comunidade

Essa desinformação tem gerado conflitos nos bairros por onde já se anunciou a possibilidade do Rodoanel passar. Os representantes comunitários apresentaram diversas situações onde há conflitos locais pois o governo do Estado e o Dersa deixaram a população à deriva, sem informação alguma. Foi colocado então na pauta a ata  de reunião que os deputados Marcolino e José Zico Prado com o apoio do vereador Francisco Chagas tiveram com o presidente do Dersa Laurence Casagrande. Nessa ata são tratados superficialmente tanto assuntos habitacionais, quanto ambientais.  Nas questões habitacionais apenas referenda o que o Dersa já vinha propondo, não trazendo nenhuma segurança real para a população. Na questão ambiental  não há nada que contemple toda a gama de estudos técnicos que a sociedade civil promoveu e comprovou os danos, gerando diversas ações na justiça, tratando a questão ambiental com pincelada pontuais. Plano de Manejo de Parques sem citar nomes dos mesmos.
 
Nesse momento adentrou o vereador José Américo que discorreu sobre seu pedido de anulação da licença concedida pela prefeitura, pelos fatos já expostos pelo Blog, e pedindo apoio a todos os parlamentares a essa ação.
 
A reunião terminou em controvérsia. Se é fato que a contrariedade a essa obra dura 12 anos, e fez com que ela não passasse ainda, os outros trechos foram feitos ao arrepio do Plano Diretor, com compensações inconclusas, danos ao ambiente, danos à fauna, e ao cidadão. A questão é, vamos permitir mais uma vez? O vereador José Américo diz que não.
Anúncios
4 Comentários leave one →
  1. fevereiro 27, 2012 7:50 pm

    Como falei outras veses o DERSA esta tentando e conseguindo quebrar os grupos de moradores ,ocultando o trajeto ;por que é muito simples e mais facil negociar com pessoas do que com grupos organisados …

    ELES TEM ESPERIENCIAS DE NEGOCIAÇÃO DE TRES ETAPAS DO RODOANEL ESTA É A ULTIMA E ELES NÃO QUEREM TER AS MESMAS DIFICULDADES QUE TIVERAM NAS OUTRAS NEGOCIAÇÕES. (VAMOS ABRIR NOSSOS OLHOS)

  2. Francisco Roberto C. E. Santo permalink
    fevereiro 28, 2012 1:01 pm

    A história da humanidade – notadamente o século XX – prova que ao crescimento
    econômico não corresponde necessariamente a melhoria da qualidade de vida, ao contrário, de fato foram gerados padrões de crescimento econômico que se traduzem pela incorporação predatória de recursos naturais no fluxo da renda, o que significa uma contínua descapitalização da natureza, o conseqüente comprometimento da capacidade de satisfação das necessidades das gerações futuras e da própria continuidade da vida.
    Tudo se passa como se o sistema de produção atual fosse um sistema de produção de
    riqueza, quando, na verdade, geram-se e acumulam-se degradações e poluições: a reprodução ampliada da pobreza, da exclusão social e da deterioração ambiental. Não se pode chamar isso de desenvolvimento e se crescimento econômico não é desenvolvimento, crescimento perverso o é menos ainda. Padrões predatórios vigentes na utilização dos recursos naturais levam assim à introdução de condicionantes ecológicas na análise sobre desenvolvimento, que incluem conteúdo ético: a solidariedade com as futuras gerações exige parcimônia e responsabilidade frente à natureza. (Marília Flores Seixas de Oliveira)

    Rodoanel na Cantareira Não!

  3. Adilson Guaiati permalink
    março 6, 2012 3:24 pm

    Esta reunião na defensoria é aberta?

  4. Francisco Roberto C. E. Santo permalink
    março 8, 2012 5:34 pm

    SERÁ?

    A vontade repentina da prefeitura e governo do estado de São Paulo, de impedir o tráfego de caminhões em horários determinados na marginal do rio Tietê, parece ter uma forte intenção de criar o “caos” para justificar a necessidade do rodoanel trecho norte, uma obra de logística deficiente e atrasada, porque não resolve o problema de transporte na cidade de São Paulo. O cidadão comum, trabalhador, que o diga. E, uma vez mais, paga a conta!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: