Skip to content

A 12 KM DO CENTRO DA CIDADE…

abril 20, 2016

Essas fotos foram batidas neste mês de Abril, a partir da av. Maria Ribeiro de Jesus, na Vila Santos, Pedra Branca.

A obra deixará uma vasta região vazia sob os viadutos.  Quem vai cuidar?

A obra deixará uma vasta região vazia sob os viadutos. Quem vai cuidar?

O site da Dersa diz que a obra finaliza em Junho/2017, ou seja, daqui a um ano e dois meses… O fato é que até agora nenhuma compensação ambiental, proporcional aos danos causados ao meio ambiente urbano, foi divulgada pela empresa.

Operários trabalhando na obra.

Operários trabalhando na obra.

Esse trecho fotografado é o vale do córrego do Guaraú. É exatamente o trecho que está no cabeçalho que ilustra este Blog. Esse córrego nasce na serra e desce em direção ao córrego Cabuçu de Baixo, que vai dar no Tietê. Como será feita a proteção e a manutenção dos enormes terrenos ociosos embaixo e lindeiros aos viadutos? Essa é uma pergunta que incomoda ao Blog, entre outras tantas… Ao longo dos anos o poder público nunca se mostrou incomodado com nada relativo a essa obra…

F3

Neste trecho contínuo às fotos acima, as traves horizontais ainda não foram assentadas. A obra passa a 100 metros das casas do Jardim Itatinga.

UM SOPRO NA BRASA…

abril 1, 2016

Motivos não faltam para resgatar aquela disposição de lutar contra a obra do Rodoanel Norte, como relatam as centenas de postagens deste blog…

É que a obra segue na sua sanha de serpente devoradora do verde e do respeito à sustentabilidade…

Tá bom o estrago na Cantareira ou quer mais? (foto: O Leão da Cantareira - nº 209)

Tá bom o estrago na Cantareira ou quer mais?                                                                                                                                 (foto: O Leão da Cantareira – nº 209)

Mas uma sopro bateu na brasa quase apagada, reavivando a vontade de brigar, no encontro de um grupo de moradores da Zona Norte, ontem, com o secretário municipal do Verde e Meio Ambiente, Rodrigo Ravena, na sala de reuniões da Secretaria Municipal de Relações Governamentais, prédio da prefeitura. A pergunta que não quer calar: onde estão as compensações da obra do Rodoanel Norte?

O secretário Ravena, formado em Economia e Direito, foi claro e objetivo: a SVMA tem sérios limites de atuação: 1º – porque se trata de uma obra estadual; 2º – porque em gestões anteriores a própria SVMA deu autorização formal para a obra iniciar, e 3º – segundo o secretário, ainda não se sabe exatamente qual o volume de impactos e desmatamentos a obra vai gerar, uma vez que ela está em andamento e tem feito mudanças no traçado, impedindo uma definição clara do impacto.

rodoanel2

Secretário Rodrigo Ravena (de terno) em reunião com o tema principal: compensações da obra do Rodoanel Norte.

Vale lembrar que em 10/09/2014 uma grande reunião (veja AQUI e AQUI) aconteceu na SVMA, com a presença do então secretário Wanderlei Meira, representantes da DERSA e da SMDU, subprefeito de Casa Verde/ Cachoeirinha e técnicos da SVMA. A proposta era a criação de um comitê municipal para acompanhar de perto a obra, seus impactos, cobrar mitigações e compensações… Mas esse tal comitê, se é que foi montado, nunca se reuniu…

O Poder Público, infelizmente, não veste a camisa dessa situação, não se articula para ao menos minorar, com dignidade, o estupro causado por tamanha obra rasgando a serra da Cantareira a menos de 12 km da Sé. Ou só fará isso se for muito pressionada pelo Poder Popular, pela comunidade. Por isso dá aquele gostinho de retomar a resistência, aquela luta que teve força de atrasar a obra, mas não conseguiu impedi-la.

Agora é a hora de brigar pelas justas e necessárias compensações ambientais. Para o prejuízo não ser total.

ET.: tem tudo a ver essa reunião ter acontecido na Secretaria Municipal das Relações Governamentais: é que o secretário José Américo, verdade seja dita, e ainda que isso desagrade a alguns, foi o único então vereador de São Paulo a se insurgir contra a obra (veja AQUI). Nenhum outro vereador deu a mínima pelota para a Transamazônica que vai levar caminhões e facilitar invasões na serra da Cantareira.

PF INVESTIGA OBRA DO RODOANEL NORTE

março 23, 2016

Mendes Junior e OAS envolvidas na obra… então não custa a PF investigar… afinal pau que bate em Chico bate em Francisco né?

Veja matéria do Estadão AQUI.

Obra do Rodoanel Norte. (foto: Felipe Rau/ Estadão)

Obra do Rodoanel Norte. (foto: Felipe Rau/ Estadão)

NÃO ERA PARA SER ASSIM…

julho 6, 2015

Um livro comemorativo foi lançado pela editora DBA em 2003, quando foi inaugurado o trecho Oeste do Rodoanel. “Rodoanel Mario Covas – Via de Progresso”, com texto de Francisca Stella Fagá.

O mapa abaixo foi tirado desse livro. O trecho Norte (linha em vermelho), há 12 anos, era proposto para passar do lado de lá da Serra da Cantareira, em Caieiras e Mairiporã. Quem então poderia imaginar que a estrada seria construída junto à cidade, fechando o contato, a troca ambiental produtiva, entre a cidade e a serra? Ninguém…

Mapa do livro

Mapa do livro “Rodoanel Mario Covas – Via de Progresso” (2003)

A OBRA CONTINUA…

julho 6, 2015

Clique AQUI para ver matéria do portal ZNnaLinha que mostra a obra continuando, apesar da operação Lava Jato, a apenas 12 km da Sé…

Obra junto à Pedra Branca e Jardim Peri (foto de 09/06/2015)

Obra junto à Pedra Branca e Jardim Peri (foto de 09/06/2015)

RODOANEL NORTE À VISTA!

maio 6, 2015

A 9 km do centro, do alto da rua Felisberto Freire, Cachoeirinha, já se pode observar as torres da obra do Rodoanel Norte, no pé da serra da Cantareira. É uma amostra clara do impacto causado por essa mega-obra, que vai colocar oito faixas de trânsito e caminhões passando na área de amortecimento ambiental da cidade. Caminhões, barulho, cimento, fumaça, onde antes só havia a mata do Parque Estadual da Cantareira.

As pistas estarão totalmente visível da Cachoeirinha...

As pistas estarão totalmente visível da Cachoeirinha…

Muitos defendem essa obra, dizendo que ela é necessária para retirar a passagem de carga do centro da cidade. Por essa visão estreita, sim, essas pessoas têm razão. Mas o planeta, as cidades, não podem mais ter visão estreita. Visões estreitas do passado nos conduziram para esse beco-sem-saída. Os caminhões de passagem têm que ser retirados dos centros através do uso de ferrovias para o transporte de produtos. O Ferroanel é uma proposta sempre citada. Isso é possível ser feito, trazendo benefício para a metrópole. Mas pede um planejamento especial e uma visão muito ampla do problema. Fere interesses, porque os governantes têm compromisso com o curto prazo, com as soluções fáceis, com as empreiteiras e seus usos gigantescos de CONCRETO. Toda obra no Brasil avança bem até a instalação do CONCRETO (vide metrôs e monotrilhos), depois é a lentidão que impera.

E mais: mesmo para as cargas, o trecho Norte é o MENOS NECESSÁRIO de todos os trechos do Rodoanel. Basta olhar o mapa para ver que o Rodoanel Norte liga a Anhanguera com a Fernão Dias. E essa ligação, menos necessária do que todas as outras, poderia e deveria ser feita com uma reestruturação da Rodovia Dom Pedro e entorno.

Os custos ambientais precisam ser avaliados com cada vez mais rigor! Atacar a Serra da Cantareira dessa forma tem um custo elevadíssimo! 7 bilhões é só o custo da obra! E o custo ambiental, tem ideia de quanto é? Você está feliz com a qualidade de vida que nós, humanos, estamos gerando? Pois continuamos insistindo nesse modelo INSUSTENTÁVEL, deixando um mundo pior para nossos filhos e netos.

MATÉRIA DA REDE TV APONTA SITUAÇÃO ATUAL

maio 2, 2015

Assista AQUI a matéria da Rede TV sobre a situação atual da obra do Rodoanel Norte e seu impacto ambiental na Serra da Cantareira, na cidade, no planeta…

Foto da obra a partir do Jardim Ibiratiba, na Pedra Branca.

Foto da obra a partir do Jardim Ibiratiba, na Pedra Branca.

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 55 outros seguidores