Pular para o conteúdo

REUNIÃO COM O NOVO SECRETÁRIO DO VERDE

abril 4, 2014

O novo secretário municipal do Verde e do Meio Ambiente, Wanderley Meira do Nascimento, recebeu um pequeno grupo em seu gabinete para conversar sobre as questões do impactante Rodoanel Norte. Presentes também Edelcio Meggiolaro, diretor do Departamento de Gestão Descentralizada – DGD; José de Santana Abreu, conselheiro participativo do Mandaqui; Valdeyr Santos, representante da Centro Comunitário N. Sra. Aparecida Valdeir; Cristina Navarro, conselheira participativa do Tucuruvi e assessora do vereador José Américo e Elisa Puterman, ambientalista e conselheira dos Parques Estaduais da Cantareira e Alberto Loefgren.

Secretário Wanderley do Nascimento à direita.

Secretário Wanderley do Nascimento à direita.


Foi apresentado ao secretário o fato de que explosões têm acontecido diariamente para a construção dos túneis junto aos parques, gerando ansiedade na população que se encontra perto demais da obra. Bairros já viraram escombros e fragmentos florestais vieram abaixo. O ambiente verde que antes privilegiava a umidade que refrescava a cidade agora está em processo de desertificação. Nesse aspecto a implantação dos 11 parques de borda propostos pela prefeitura e em análise pelo Governo do Estado se torna fundamental. O dinheiro empregado nisso seria irrisório, em face dos benefícios ambientais, evitando inclusive invasões que devem acontecer se essas áreas gigantescas, quase todas particulares, ficarem sem proteção firme.

Comitê em defesa da Serra da Cantareira,  na SVMA.

Comitê em defesa da Serra da Cantareira, na SVMA.

Essas preocupações levaram o secretário Wanderley a formar um Grupo de Trabalho para analisar como proceder com a obra e o que conversar com a empresa DERSA. Esse GT está sendo formado. Uma má notícia, a ser melhor apurada, é a de que R$ 25 milhões da compensação ambiental da obra já foram destinados a subprefeitura da Moóca. Essa nem o secretário acreditou e disse que se possível iria reverter essa destinação, uma vez que a Moóca não sofre impacto direto da obra. A acompanhar… nesse país dos esquecimentos…

A EXATOS 11 QUILÔMETROS DA SÉ

abril 4, 2014

Essas fotos da obra foram batidas pelo internauta Valdeyr Santos no mesmo local, no topo de um morro entre o Jardim Antárctica e a Pedra Branca.

Vista para o lado do Jardim Antárctica.

Vista para o lado do Jardim Antárctica.

Esse ponto está a exatos 11 quilômetros do marco zero da cidade. Como já foi dito em outras vezes, se essa distância fosse considerada para os lados da Zona Sul, o Rodoanel passaria exatamente sobre a estátua do Borba Gato, no Brooklin… Perceberam a proximidade da mancha urbana?

Vista para o lado da Pedra Branca.  Um viaduto passará na várzea abaixo.

Vista para o lado da Pedra Branca. Um viaduto passará na várzea abaixo.

Onde está a sustentabilidade dessa obra, levando caminhões, carros e poluentes para o pé da serra da Cantareira?

A MANIFESTAÇÃO Nº 458/14

abril 4, 2014

Claudio Simionato, morador da av. Luiz Carlos Gentile de Laet, na Vila Rosa, reportou ao blog a sequência de emails mantidos com a ouvidoria da DERSA (gerando o nº de manifestação 458/14) que visavam minorar o seu sofrimento… E se esse sofrimento foi minorado, foi só um pouquinho. Convivendo com os pesadíssimos caminhões da obra passando em sua porta, ele percebeu que ainda cerca de 30% dos motoristas não cumprem a velocidade máxima de 30 km/hora na avenida. E isso faz permanecer a trepidação, o barulho, a quebra de vidros, com a passagem desses mamutes pesados na ida, pesadíssimos na volta, cheios de terra.

Trio parada dura na Vila Rosa.

Trio parada dura na Vila Rosa.

Foi duro para o sr. Claudio ouvir que a avenida será recapeada… quando terminar a obra. “Deveremos conviver até o final da obra para termos o asfalto corrigido para que os veículos não ocasionem o enorme estrondo quando passam e continuar a informa-los especificamente ( fotografando ) os caminhões que passam em alta velocidade” Aquela proverbial tranquilidade do Tremembé… adeus.

IMPACTOS LOCAIS DA OBRA EM GUARULHOS

março 30, 2014

Claro que uma megaobra como a do Rodoanel Norte, além de todos os problemas ligados à sustentabilidade ambiental, que impactam todo o planeta, também causa impacto muito local, para quem vive perto da obra, como mostra essa matéria da Folha Metrô, no bairro de Soberana, em Guarulhos. (Clique AQUI para ver a matéria na edição digital, pág. 11). Vá dormir com um barulho desses!

Rodoanel Norte potencializa problemas globais e cria problemas locais.

Rodoanel Norte potencializa problemas globais e cria problemas locais.

DENÚNCIA: NASCENTE SOTERRADA

março 30, 2014

Não foi a primeira, não será a última denúncia de nascente soterrada durante a obra do Rodoanel Norte. Essa foi feita por quem entende de natureza: um indígena que caminhava pela região de Guarulhos em busca de alimento… e encontrou tratores removendo tudo… Veja AQUI a matéria na página 16 da edição digital do MetrôNews de 03/02/14 (desculpem a demora no post…)

rodoanel205

Uma solução (entre outras) para o problema de falta de água, seria a captação local de água, para consumo local. Mas essa opção vai se tornando impossível com a avassaladora impermeabilização do solo, e destruição das nascentes próximas aos centros urbanos…

Índio constata obra em local de muita água...

Índio constata obra em local de muita água…

VÁRZEA JURADA PRA MORRER.

janeiro 19, 2014

Por enquanto nada à vista. Mas essa várzea no Tremembé, entre o Jardim Corisco e o Jardim Brasil Novo, a 15 km do centro, está jurada de morte. É exatamente aí que está anunciada a passagem do Rodoanel trecho Norte, bem perto da rodovia Fernão Dias. As mais de 400 postagens neste blog, ao longo de três anos, justificam porque essa obra não devia acontecer…

Várzea junto à r. Kotinda, no Jardim Corisco, Tremembé

Várzea junto à r. Kotinda, no Jardim Corisco, Tremembé

UMA ESPERANÇA… (2)

dezembro 31, 2013

2014 começa, cheio de esperanças… Assim, que os 9 parques de borda da Serra da Cantareira sejam decretados, para atenuar os impactos da tragédia do Rodoanel Norte rasgando a serra, a 12 km do centro, para os senhores automóveis passarem…

No começo do século 20, antes da existência do Horto Florestal como hoje conhecemos, as pessoas pegavam o trenzinho da Cantareira e desciam na estação terminal, junto ao reservatório de água da cidade (onde hoje está o clube de funcionários da Sabesp). Em Março/2012 a Rede Social Zona Norte foi até lá para uma atividade, e verificou a beleza, a riqueza daquela área, alguns tomaram banho de cachoeira, outros fizeram meditação… Confiram as fotos abaixo.

Nesse exato ponto do clube da Sabesp, vai passar o viaduto do Rodoanel Norte.

Nesse exato ponto do clube da Sabesp, vai passar o viaduto do Rodoanel Norte.

Pois é exata e milimetricamente aí que estão fazendo as pilastras dos viadutos do Rodoanel Norte, que estão nas fotos da postagem mais abaixo.

Outros recantos da Serra (por exemplo a fazenda Santa Maria, no Tremembé) estarão irremediavelmente afetados pela passagem de uma “rodovia dos Imigrantes” em meio à flora e à fauna. Em pleno século 21, com a noção do aquecimento global e o conceito de sustentabilidade ambiental, uma obra dessas, a um custo inicial de R$ 6 bilhões, é inadmissível.

Vem aí o viaduto do Rodoanel Norte sobre esse tanque no Clube da Sabesp.

Vem aí o viaduto do Rodoanel Norte sobre esse tanque no Clube da Sabesp.

Durante três anos o blog do Rodoanel Norte fez mais de 400 postagens dessa luta. Claro que perdemos o embalo desde o 12 de Março citado. Mas a esperança é que em 2014 esse embalo volte, pra exigir os 9 parques, e uma série de outras compensações que o poder público e o empreendedor precisam entregar.

Vamos em frente! Ótimo ano a todos!!

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 43 outros seguidores